Crônica: Vinte e Poucos Anos!

Aquele momento da vida onde tudo fica entre as responsabilidades de ser adulta e o desejo de nunca sair dos Vinte e Poucos Anos!

 

Adoro escrever, desde sempre. Sou do tipo que tem a unha do dedo médio torta de tanto que forçava a caneta, que fazia agendas todo ano e que um dia sem escrever me deixava chateada por descumprir minha meta.

Ao final de cada romance, no calor da emoção, pegava minha fiel agenda, uma caneta, e derramava naquelas páginas todo o sentimento que tinha dentro de mim. Fosse a tristeza pelas personagens perdidas, fossem os amores impossíveis que vivia todas as noites nas minhas tão amadas páginas. Escrevia coisas que nem reconhecia depois.

Os anos se passaram e a caneta acabou ficando muito ocupada com a graduação. Ser bolsista tem suas responsabilidades extras. Ter planos pro futuro te leva a ficar cega pela sua meta e a deixar o tempo resvalar por você sem que você ao menos note.

Um belo dia, lá estava eu, apresentando minha banca de projeto. Pouco depois, minha banca de monografia. Logo estava jogando meu capelo para o alto. E lá se foram 5 doces anos da minha vida.

Não foram anos ruins, muito pelo contrário. Foram inesquecíveis. Mas, se aos 18, quando entrei na faculdade, me dissessem que 5 anos passariam tão rápido, eu jamais acreditaria, pois, não foram os 5, dos 13 até os 18, os anos mais longos da minha vida?

Agora me vejo com 24 anos e após 5 anos suspensa no limbo da faculdade de arquitetura me sinto, como nunca, em uma canção de Sandy Leah:

Tenho sonhos adolescentes, mas as costas doem, sou jovem pra ser velha e velha pra ser jovem!

 

Nenhuma música descreve melhor esse momento da vida do que “Aquela dos 30”! E quem melhor do que a Sandy para representar a sensação de ser jovem pra ser velha e velha pra ser jovem? Quem aqui não se lembra dela de trancinhas cantando “O Pica Pau”  e se surpreende em vê-la, hoje, mãe?

É isso que representa para mim o termo “Vinte e Poucos Anos”! É esse momento onde você tem um mundo de responsabilidades para assumir, a vida te cobrando as contas no final do mês, mas ao mesmo tempo sente um desejo enorme de sentar no seu quarto, com sua velha agenda e sua amiga caneta e esquecer do tempo, noite adentro, escrevendo páginas e páginas, sem se preocupar com a hora de acordar no outro dia!

Onde acaba a juventude e se inicia a vida adulta? Posso mudar de ideia daqui alguns anos, mas hoje acredito que esse momento nunca chega!

Acredito que a vida é mais feliz se você não se esquecer nunca dos doces sabores de ser jovem, se não esquecer nunca como um bom livro, como algumas horas perdida na realidade de outro alguém, pode te fazer feliz, não esquecer nunca do bate papo com os amigos, de dormir tarde conversando com alguém, de dormir até tarde de vez em quando e as vezes tirar um dia inteirinho exclusivamente para fazer um monte de nada!

Dou muito valor para essas pequenas coisas que a vida adulta tenta, aos poucos, roubar de mim. Serei eternamente jovem para ser velha, e cada dia mais, velha para ser jovem!

Em outras palavras, terei sempre dentro de mim a menina, para guiar a mulher nas suas decisões! Manterei sempre viva dentro de mim essa sensação dos meus eternos Vinte e Poucos Anos!

Aline de Carvalho

Sempre amei falar, até descobrir que teclar era falar para lugares onde minha voz não chegava. Paulistana clássica, adoro um shopping, mas esqueço do tempo mesmo é nas livrarias. Vivo com fones nos ouvidos e um livro no nariz, perdida no meu mundinho particular e é ele que divido com vocês aqui, no Vinte e Poucos Anos.

6 Comments

  1. Oi Aline,
    Demorei mas eu li o texto hahaaa
    Bom, posso dizer que amei o texto, ele é realmente muito bom.
    Minha juventude está próxima de virar maturidade porque tenho 34 anos e não, não me considero adulta, madura ou menos jovem, acho tão estranho quando alguém me chama de “senhora” ou minhas sobrinhas falam que sou velha hahahahaaaa elas tem 3 anos né vamos relevar kkkkk
    Enfim, eu sou do tipo que não esquece nunca e acho que a juventude sabe, entre ser criança e adolescente, os anos desde o pré até o ensino médio passam rápido demais, nossa, pra mim foi ontem sabe é estranho pensar que já faz anos que não vejo minhas colegas que já fizeram faculdade, estão casadas e tem filhos até nossa, para mim esse é estranho.
    Eu não fiz faculdade por N motivos mas quero fazer, preciso né se não é como se não tivesse concluido algo importante e não é apenas para conseguir um emprego, é para aprender algo, conhecer pessoas, encarar de frente meus medos( a escola não foi muito boa comigo) então é algo que quero mesmo fazer, eu sinto que preciso disso mas vamos combinar, eu fui escolher justo publicidade então ainda não tenho um plano para conseguir fazer faculdade pois não existe publicidade em faculdades publicas e as particulares são carinhas e não vou fazer a faculdade mais barata que tiver só pra constar um diploma, não, eu quero realmente aprender e crescer, eu gosto disso e dentro da publicidade existem tantas opções que só fico mais fascinada e não ligo, alias ignoro aqueles que falam que é difícil, que muitos não conseguem emprego e blá blá blá, é o que quero, é o que gosto e vou atrás.
    Eitaaa sai do foco né rsss então, seu texto é maravilhoso amei mesmo e, amei seu blog também.
    O tipo de texto que nos faz refletir e pensar e clarooo lembrar da nossa juventude que não está tão distante assim.
    Não quero ser madura sabe, parecer adulta porque cara, muita gente madura é chata pra caramba, prefiro continuar sendo eu mesma, espirito jovem e com vontade de fazer muitas coisas ainda.
    Abraço grandeeee

    • UAU que comentário enorme!
      Ganhou o troféu “maior comentário do blog até agora!” hahaha

      Tenho 10 anos a menos, mas quando vejo minha cunhada dizer que não tinha nascido quando atacaram as torres gêmeas, me sinto muito velha haha
      A vida passa rápido de mais, não podemos ficar mudando quem somos, temos que evoluir levando o que aprendemos conosco.
      Tem que ser assim mesmo, não pode esquecer nem o bom nem o que não foi tão bom!
      Corre atrás sim, nunca é tarde, eu queria fazer publicidade agora, mas também acho caro pra minha realidade e eu já fui bolsista do prouni e não posso requisitar outra bolsa! Você já tentou o Enem? Vale a pena!

      O intuito era super esse, causar essa reflexão, se vc chegou lá já estou feliz de mais!
      Não quero ser a tia chata também haha quero ser pra sempre meio mulher e meio mulecota!
      Temos muito pela frente!
      Beijão, Fernanda Maria, ou Maria Fernanda!rs

  2. Eu sempre gostei de escrever, porque era e ainda é a unica forma que eu tenho de expor o que sinto, é como se escrevendo eu fosse livre sem ter me preocupar com a opinião dos outros. Fico aqui imaginando como vai ser quando eu entrar na faculdade, me pergunto se vai passar rápido assim como o ensino médio, me pergunto ate como vai ser ter mais responsabilidade do que eu já tenho, como vai ser ter uma casa só minha, pagar minhas contas, fazer as compras e etc, e no final morro de medo de envelhecer antes do tempo porque com o passar dos dias e com o pesar das responsabilidades a gente esquece que ainda pode sonhar. Amei o texto, super beijo!
    http://lacerejinha.blogspot.com.br/

    • Olá Victoria!
      Fiquei muito feliz com seu comentário, de verdade!
      Escrever é ser livre, é mostrar pro mundo o que você pensa de uma forma sólida! Adoro essa sensação, pois, palavras ditas são esquecidas, mas a escritas podem durar para sempre!
      A faculdade é um período duro, se adaptar a não ter alguém te cobrando nada, mas ao mesmo tempo ter quase todo dia algo diferente e difícil para fazer é bem complicado, e sobre pagar as contas, já te adianto que não é nada parecido com a sensação de poder e independência que achamos que será haha tudo o que eu queria era que minha mãe pagasse meu plano de saúde, ou meu cartão de crédito, ou aquela roupa que eu fico desejando na vitrine! Mas as compensações vem, a liberdade da sua casa, decidir como as coisas serão!
      Se posso te dar uma dica é não pare de viver, nunca, não espere pelo próximo feriado, faça hoje! Não deixe a vida passar sem ver, pois, esses preciosos anos não voltam mais 😉

      Obrigada pela visita, volte sempre, terei mais crônicas por aqui!
      Beijos!

  3. Engraçado esse seu post, me identifiquei, também sempre gostei de escrever, mas vai entender, jogava tudo fora. Na faculdade (que ainda faço, estou na segunda graduação) eu nunca gostei de escrever, pois eu gravo melhor só prestando atenção, mas é só me dar um papel que rabisco logo uma ideia.
    Sobre essa sensação da idade, tenho 27-eita quase nos 30- e sei bem o que está sentindo, parece que as responsabilidades pesam, o tempo fica curto, mas continuamos sonhando, afinal o que é a vida sem sonhos.
    Amei seu post.

    http://www.atesemsalto.com

    • Jogava fora também! 🙁
      Eu nunca gostei nem de copiar a matéria! Estamos iguais! Mas rabiscar é comigo mesma!

      Dá aquela sensação de que os 30 estão chegando e falta tanto pra fazer, né? haha

      Obrigada 😉 fico feliz que tenha gostado!

Me conta o que você achou: